Aleitamento materno: 7 dicas preciosas

21/01

Se você é mamãe ou está gravidinha e tem dúvidas sobre amamentação ou alguma dificuldade para amamentar, vai gostar desse post que preparei com dicas preciosas sobre o aleitamento materno

Em primeiro lugar, é bom deixar claro que as dificuldades fazem parte do processo, especialmente para quem é mãe de primeira viagem, mas que é sempre bom contar com a ajuda do pediatra e de uma rede de apoio materno. Algo que faz parte da minha rede de apoio é um aplicativo chamado Kinedu, que tira todas as minhas dúvidas sobre maternidade e bebês, além de me oferecer atividades que ajudam a minha filha a se desenvolver melhor.

Clique AQUI e baixe o Kinedu GRÁTIS para iPhone ou Android!

O catálogo do Kinedu tem uma seção inteira dedicada ao aleitamento materno, com artigos e atividades que me ajudaram muito quando eu estava começando a amamentar a Anne Liv. O conteúdo do app foi criado por especialistas em desenvolvimento infantil, e isso me trouxe muita tranquilidade. Aliás, você sabia que o estresse é um dos responsáveis por diminuir a produção de leite?

dicas amamentação

leite materno

dor na mama

Dicas para o aleitamento materno

Pensando nas dúvidas e dificuldades que tive com o aleitamento materno, separei algumas dicas preciosas para ajudar outras mamães que estejam passando por essa fase.

Se for possível, amamente

O leite materno é o alimento ideal para os bebês, pois contém todos os nutrientes que eles precisam, além de anticorpos e outras substâncias que os protegem de infecções. Além disso, o aleitamento materno promove um contato íntimo entre a mãe e o bebê, fortalecendo os laços afetivos entre os dois e ajudando-o a se desenvolver de forma saudável. Os movimentos de sucção do bebê também fortalecem os músculos do rosto, ajudando a evitar futuros problemas de respiração, mastigação, fala e para engolir.

Sei que nem todas as mamães conseguem amamentar por diversos motivos e condições. Mas minha dica é: se você puder, amamente. A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomenda a amamentação até pelo menos os 2 anos, e exclusiva (ou seja, sem a oferta de outros alimentos ou bebidas) até os 6 meses.

Não se preocupe tanto com a quantidade de leite nos primeiros dias

Um dos meus maiores medos antes de começar a amamentar era não ter leite suficiente para minha filha, pois já ouvi muitas mães dizendo que tinham pouco leite quando seus bebês nasceram. 

Nos primeiros dias de vida do bebê, a nossa produção de leite é menor mesmo, mas suficiente para o recém-nascido, que tem um estômago bem pequeno. Esse leite é chamado de “colostro”, e é produzido de acordo com as necessidades de um bebê com poucos dias de vida, contendo mais proteínas e anticorpos.

A chamada “descida do leite” costuma acontecer entre o terceiro e o quinto dia de vida do bebê, quando a produção de leite aumenta. É importante ter em mente que essa produção é estimulada conforme o bebê mama.

Prolongue a mamada

Outra coisa que eu ouvia muito antes de começar a amamentar eram mães dizendo que tinham leite fraco por causa de sua cor. É bom deixar claro que a dieta da mãe e o momento da mamada podem influenciar o aspecto e do leite, mas que todo leite materno é de boa qualidade.

O leite materno mais transparente (chamado de leite anterior) é rico em água, importante para a hidratação do bebê, e anticorpos, importantes para a imunidade. Geralmente, depois de a criança mamar mais, o leite vai se tornando mais esbranquiçado ou amarelado, pois contém mais gorduras, proporcionando saciedade. Esse leite é chamado de leite posterior. Se você acha que o seu leite está muito “ralinho”, tente prolongar a mamada e observe a diferença no aspecto do leite. É importante que o bebê possa ingerir tanto o leite anterior quanto o posterior.

Experimente diferentes posições para o aleitamento materno

Amamentar nem sempre é fácil, mas testar diferentes posições pode ajudar a tornar a experiência mais tranquila e prazerosa. Você pode estar sentada, deitada ou na posição que considerar mais agradável. O importante é que o corpinho do seu bebê esteja virado em direção ao seu, com a cabeça e o corpo alinhados e apoiados.

Algumas posições bem conhecidas são: a tradicional (o corpo do bebê fica virado para o corpo da mãe e apoiado pelo braço do mesmo lado da mama oferecida); posição de jogador de futebol americano (o bebê fica posicionado na lateral do corpo da mãe, apoiado pelo braço do mesmo lado da mama oferecida); deitada (mãe e bebê deitados de lado, com o braço que está por baixo apoiando a cabeça do bebê); posição tradicional invertida (a mãe fica sentada e apoia o bebê com o braço oposto ao da mama oferecida) e posição de cavalinho (o bebê fica apoiado no corpo da mãe verticalmente).

Entenda como corrigir a pega

A pega é o encaixe da boca do bebê no peito da mãe para mamar. A pega adequada ajuda na retirada do leite e não machuca o peito da mãe, além de evitar que o bebê ingira muito ar. Em primeiro lugar, para favorecer uma pega adequada, não devem haver obstáculos entre a mãe e o bebê, como roupas, panos, a mão da mãe ou o braço do bebê. 

Apoiar a mama com a mão no formato de um “C” pode ajudar na pega correta, pois a mão em forma de tesoura podem atrapalhar. O nariz do bebê deve ficar em frente ao mamilo. Quando ele abrir bem a boca, você pode colocá-lo no peito para sugar. Você pode tocar a boca do seu bebê com o mamilo para ajudá-lo a abrir bem a boca, por causa de um reflexo do recém-nascido chamado de reflexo de sucção. 

Para que a pega seja adequada, o bebê deve abocanhar a aréola (a parte escura da mama em volta do mamilo) com a boca bem aberta, os lábios virados para fora e o queixo encostado na mama. Para corrigir a pega, caso não esteja adequada, “descole” a boca do bebê do seu peito colocando o seu dedo mindinho limpo no canto da boca dele. 

Veja como aumentar a produção de leite

A amamentação em livre demanda é um dos fatores que mais ajuda a aumentar a produção de leite. Quanto mais o seu bebê mama, mais o seu corpo vai produzir leite. No entanto, há outras coisas que você pode experimentar.

  • Relaxe. Sei que isso nem sempre é simples, mas é algo comprovado: o estresse prejudica a produção de leite, então tente respirar fundo ou usar alguma técnica que ajude você a ficar mais tranquila.
  • Pegue o seu bebê no colo. O contato pele a pele ajuda a liberar prolactina e ocitocina, estimulando a descida do leite.
  • Beba muita água. Manter-se hidratada é fundamental para a mãe que amamenta.
  • Descanse sempre que possível. Conte com uma rede de apoio para ter momentos só seus. Além de fazer bem para a sua saúde física e mental, descansar irá ajudar na sua produção de leite.

Não fique sentindo dor

Sentir dor pode ser algo comum nos primeiros dias, mas isso não é algo que deve durar. Experimente diferentes posições para o aleitamento materno e verifique sempre se a pega está correta. Se a mama estiver pesada e dolorida, esvazie-a até que ela fique mais macia.

Se a dor persistir, não hesite em buscar ajuda. Você pode encontrar apoio em uma assessoria de amamentação, nas unidades básicas de saúde, clínicas de amamentação, bancos de leite, postos de coleta de leite humano  e na rede BLH Brasil (Rede Global de Bancos de Leite Humano). 

Espero que essas dicas facilitem o aleitamento materno por aí!

Conheça o Kinedu

O Kinedu é um aplicativo gratuito, que foi criado para ajudar os pais a impulsionarem o desenvolvimento de seus filhos. Gratuitamente, você pode visualizar até 3 atividades por semana. Você também pode fazer uma assinatura (que eu tenho e recomendo muuuito!), que dá acesso ilimitado às atividades e artigos, além de permitir que você acompanhe o progresso do seu bebê e compartilhe tudo com a sua rede de apoio.

Uma coisa muito legal é que você pode testar a experiência como assinante por 7 dias grátis. Experimenta com o seu bebê, vale super a pena!

Clique AQUI e baixe o Kinedu com 7 dias de teste GRÁTIS!

Você também pode se interessar por:

Amamentação: esclarecendo as 3 maiores dúvidas das mães

O que toda mãe deve saber para a amamentação dar certo

O app que os pediatras recomendam

Me conta: quais são as suas principais dúvidas ou dificuldades em relação ao aleitamento materno? Vamos trocar dicas e experiências!

 

Beijos com amor,

 

Ju e Kinedu