Dicas para fazer o enxoval do bebê

07/09

Na reta final da gravidez com quase tudo pronto para a chega do Liam e eu preparei esse vídeo especial com dicas para fazer o enxoval do bebê, de forma leve e consciente.

Essa é a minha segunda gestação e eu busquei colocar em prática tudo o que aprendi na primeira, e na hora de preparar o enxoval não foi diferente. Quem é mãe de primeira viagem tende a se perder com tanta informação que há por aí.

Eu acredito que, como tudo na vida, o mais importante é seguir aquilo que faz sentido para o seu estilo de vida. É algo extremamente particular, concorda?

Assim, não estou aqui para dar uma lista pronta de enxoval, muito menos ditar regras. O que eu tenho para oferecer são parâmetros que poderão te ajudar a montar uma linha de pensamento que caiba no seu contexto, no seu momento e no da sua família.

Por onde começar

Algo que me ajudou bastante na primeira gravidez foi pensar nos primeiros seis meses de vida do bebê. E se deu certo na primeira, eu resolvi mantê-lo.

Isso porque, é tempo suficiente para conhecer o bebê, entender as peças que se adaptam melhor, analisar a qualidade dos tecidos e das marcas. Enfim, saber o que é mais confortável para vocês.

Pensar assim na hora de fazer o enxoval do bebê evita comprar coisas para muito tempo e se deparar com peças que não se adaptam ou são de baixa qualidade.

Marcas e onde comprar

Já tem muito tempo que eu compro pela internet, e para quem precisa fazer o enxoval em tempos de pandemia, uma boa dica é comprar de marcas que já conhece. Tem muita coisa boa Brasil, o que torna possível fazer o enxoval por aqui.

Outra dica, que também aprendi na primeira gestação, foi buscar por desapegos.

Tem muita coisa boa, nova e usada, que as mães colocam em grupos ou sites na internet, como o Ficou Pequeno e o Enjoei. É uma forma de encontrar coisas com um bom preço, ajudar quem está vendendo e ainda colaborar com a sustentabilidade.

Contudo, dessa vez eu ainda contei com desapegos de pessoinhas especiais, que eu vi crescer. Então, você pode buscar dentro do seu círculo social, com famílias que tiveram bebês recentemente.

Para quem não compra em desapegos online porque tem medo de se decepcionar, uma dica de uma amiga, da loja Apego e Desapego, é pedir um vídeo em luz natural para você ver melhor a peça com todos os detalhes.

Listas e quantidades

Na internet tem muitas listas prontas em que colocam muitas quantidades de cada peça. Tudo bem que há bebês que se sujam mais, mas eu prefiro manter as quantidades mais equilibradas. Por isso, pensei em 6 peças de cada tipo até o tamanho P, e a partir do tamanho M reduzi para 4 peças.

O que é relevante na hora de fazer o enxoval do bebê:

  • Avaliar a sua rotina de lavagens e condições de secagem das roupas. Pensar nisso é definitivo na hora de decidir as quantidades, lembrando que a roupa do bebê, em média, é trocada de duas a três vezes por dia.
  • Lembrar a estação do ano em que o bebê vai nascer. Isso evita acumular roupinhas mais quentes se o nascimento for nos meses em que o calor prevalece.
  • Considerar que os tamanhos mudam muito dependendo da marca, especialmente de tamanhos RN.

Sugestão de roupas para enxoval do bebê

  • 6 macacões de cada tamanho (RN, P e M) – se você mora em uma região quente os mais fininhos podem ser mais úteis, se necessário, você coloca um body por baixo para esquentar mais.
  • 6 bodies de cada tipo/tamanho (RN, P e M) – pense no tipo ideal para cada época, como manga comprida ou manga curta, que você pode colocar e tirar um casaquinho se necessário. É mais versátil.
  • 6 a 8 culotes (calça de baixo) de cada tamanho (RN, P e M) – para o comecinho usamos muito as que tem pezinho (depois você pode cortar para aproveitar por mais tempo quando o bebê cresce). Para as épocas mais quentes, talvez você possa incluir shorts ao invés de tantas calças o deixar somente de body mesmo.
  • 2 casaquinhos de cada tamanho (RN, P e M).
  • 4 a 6 pares de meia de cada tamanho (RN e número 3 ao 18) – eu preferi no comecinho usar calças com pés ao invés de meias, porque a calça sobe muito, e as meias caem.
  • 2 gorros/toucas – usamos mais enquanto RN ou no inverno.
  • 2 pares de luvas – para quando nascem é bem válido, pois podem se arranhar com facilidade.
  • 3 Fraldas de tecido grandes/cueiro – usamos demais, especialmente no começo para embrulhar o bebê (como um charutinho, sabe?), evitando que ele acorde com os reflexos de Moro.

Tem também os itens de higiene, berço, passeio… Mas a ideia aqui era falar de vestuário mesmo.

Por último, vale lembrar que o mais importante é o calor humano e o aconchego. É isso que fará a grande diferença para o seu bebê!