Meu corpo real pós-parto

01/12

Nesse vídeo eu falei sobre as mudanças reais que acontecem com a maternidade e na vida. É muito importante falar sobre o corpo real pós-parto e eu espero que isso te inspire a desconstruir conceitos e padrões que te impedem de ser mais e mais feliz, além de acolher toda essa mudança. Vem comigo!

Eu sei que a internet está cheia de “bons ângulos”. Recentemente, ver algumas coisas sobre pós-parto e percebendo o quão fora do que eu considero real, me trouxe muita reflexão. Muitas vezes a realidade fica escondida e acabamos nos sentindo culpadas por não nos encaixarmos em certos padrões.

Obviamente a maternidade nos traz muitas mudanças, tanto física quanto emocionais. E numa cultura onde somos condicionadas a estar bem o tempo todo, muitas vezes nos sentimos estranhas com tudo o que está acontecendo.

Nesse contexto, não podemos nos esquecer de que o nosso corpo é capaz de gerar uma vida. Durante toda a gestação nós somos o templo onde essa nova vidinha é gerada e de repente, nos vemos na obrigação de nos apertarmos para caber no padrão. Parece que quanto antes o corpo retomar a forma que tinha antes, melhor. Contudo, o lado emocional da mulher é deixado de lado.

A maior reflexão aqui é que talvez seja importante rever o que é realmente mais importante para você neste momento. Se for a volta do corpo, ser reconhecida pela família ou companheiro, tudo bem. A questão é não se deixar levar por todo burburinho de influências externas que tende a envolver a sua vida nesse momento.

Olhe para você, o que faz sentido disso tudo?

Em nome da nossa sanidade mental, nós devemos criar um maternar baseado em nossas crenças, não no que as pessoas a nossa volta estão dizendo ou fazendo. Afinal, são tantas mudanças e cada mulher tem seu tempo, suas prioridades.

Além disso, cada gestação é única, nosso corpo responde diferente em cada fase da vida. Eu por exemplo, no pós-parto da minha primeira filha, o retorno do meu corpo foi muito mais rápido do que agora. Mesmo eu tendo engordado mais de 20Kg na gestação. Mas naquela época eu estava focada na forma do corpo e acabei deixando de lado outras coisas que hoje eu sei que são mais importantes. Naquela época eu emagreci muito rápido e fiquei até muito magra, afinal, nunca está bom o suficiente.

Um corpo real pós-parto

Essa ilusão da volta ao corpo como era antes da gravidez é algo muito louco. Nós somos impactadas o tempo todo por imagens, por informações irreais. Ninguém quer postar a pior foto no instagram, nem eu. Mas considero importante trazer a realidade de que nem tudo está esteticamente perfeito e por isso eu quis mostrar para vocês que também vivo o dilema das roupas que não me cabem.

Num primeiro momento eu até tentei caber em algumas peças, mas eu desisti. Eu acredito que o nosso corpo é o nosso templo e não vejo mais motivos para ficar violentando meu corpo para ficar esteticamente bem. Essas reflexões me deixam muito mais tranquila enquanto meu corpo muda de novo e eu não me cobro e não tento o que não é possível no momento.

O fato é que eu ainda uso as roupas de gestante, que é o que cabe agora em mim. Estou grata e honrando meu corpo, a capacidade dele de gerar vida, de amamentar e de continuar em frente.

Nesse mundo das imagens não se engane, muitas vezes um corpo real pós-parto está longe do ângulo que você vê no Instagram. Busque dentro de você, na sua essência, o que é realmente importante? Nós podemos nos libertar de todos os padrões e imposições que recebemos e temos agora a oportunidade de desconstruir tudo o que nos aprisiona.

Enfim, vamos nos acolher e que você possa fazer isso por você também!

Aqui estão outros posts que você pode gostar:

Diário do pós-parto #2 | Itens mais usados

Abuso, julgamento… chega! |Uma reflexão

Beijos,

Ju