Nutrição | Alimentação x Ansiedade

04/09
por Dra. Ingrid Seiler Prior*
 
Existem alimentos que favorecem a produção de serotonina, proporcionando uma sensação de bem-estar. Porém somente o consumo desses alimentos não é suficiente, é preciso aliá-los à prática de atividade física regular e um estilo de vida equilibrado.

Algumas pessoas, para aliviar conflitos ou situações de estresse acabam descontando suas frustrações na comida. E durante uma crise de ansiedade normalmente não se belisca baby cenouras, e sim alimentos ricos em gordura e açúcar, como o chocolate por exemplo. Estes alimentos geram aconchego para a pessoa.


 
E com o tempo o resultado não pode ser outro: comida demais, quilos a mais também, o que consequentemente gera mais ansiedade. Isso torna-se um ciclo vicioso.
 
Indicações:

– Alimentos que carregam alto teor de triptofano, aminoácido responsável pela liberação de serotonina: banana, carnes e peixes, leite e seus derivados magros, oleaginosas (nozes, castanhas, amêndoas, etc) e feijões. O chocolate amargo também entra nessa, mas é importante consumir com moderação;

– Carboidratos integrais: proporcionam mais energia e disposição;

– Ácido fólico: antidepressivo natural presente. Tomate, cogumelo, ervilha, brócolis e espinafre são alguns dos alimentos ricos nessa vitamina;

– Frutas cítricas: ajudam na redução do cortisol (hormônio do estresse), além de funcionar do bom funcionamento do sistema nervoso.
 
Alguns alimentos, apesar de causar uma sensação boa quando consumidos. Os principais promotores do humor são a água, as verduras e as frutas, já os principais promotores de estresse são o açúcar, a cafeína e o álcool.
 
 
*Artigo escrito pela colunista Dra. Ingrid Seiler Prior | Nutricionista especialista em Fisiologia do Exercício pela Universidade Gama Filho e em Obesidade e Emagrecimento pela Universidade Federal de São Paulo.

Foto: Reprodução