Nutrição | Congelamento e descongelamento de alimentos

26/03
por Dra. Ingrid Seiler Prior*

O congelamento, além de manter o sabor, consistência, cor e aroma dos alimentos, é uma maneira muito prática de armazená-los, já que a obrigação diária de cozinhar se torna obsoleta, e em pouco tempo é possível preparar um cardápio para semanas.

Além disso é possível evitar o desperdício; estocar legumes e frutas da época de safra, que além de serem mais baratos, são de melhor qualidade nutricional; e as idas ao mercado e/ou feira tornam-se menos freqüentes.


 
Como congelar:

  • Acondicionar o alimento em uma embalagem que não permita que o ar do congelador entre em contato com o mesmo e não se rasgue facilmente. Ex: saco de polietileno incolor atóxico, folhas de alumínio, recipientes plásticos com tampa ou plástico filme;
  • Identificar o alimento com sua a data de congelamento;
  • Os alimentos devem ser congelados em porções para cada refeição;
  • Nunca recongelar um alimento, exceto no caso de um prato cru que venha a se transformar em um prato pronto.
 
Alimentos que não são apropriados para o congelamento:
  • Maionese;
  • Vegetais crus;
  • Chantilly;
  • Gelatina;
  • Ovo;
  • Pudins ou cremes que contenham ovos e leite;
  • Preparações à base de amida de milho;
  • Queijos cremosos.
 
Como descongelar corretamente:
  • Retire o alimento do freezer com 24h de antecedência e coloque-o na geladeira;
  • Pratos prontos podem ser descongelados diretamente no forno ou microondas;
  • Alimentos que serão fritos podem ir direto à fritadeira;
  • Molhos podem ser descongelados diretamente em fogo baixo.
 
*Artigo escrito pela colunista Dra. Ingrid Seiler Prior | Nutricionista especialista em Fisiologia do Exercício pela Universidade Gama Filho e em Obesidade e Emagrecimento pela Universidade Federal de São Paulo. Docente do curso técnico de Nutrição no Colégio Marquês de Olinda.

Conheça meu Curso de Maquiagem Online. São 21 vídeo aulas + um super Ebook por R$ 24,90!