Nutrição | Esteatose Hepática

23/04
por Dra. Ingrid Seiler Prior*

A esteatose hepática, ou acúmulo de gordura no fígado, é considerada a enfermidade crônica mais comum que acarreta o fígado. Ela está relacionada à alimentação inadequada, consumo excessivo de álcool, obesidade e diabetes descompensada. Ela também pode ser causada pelo vírus da hepatite, anemia e doenças auto-imunes.

Na maioria das vezes a doença não apresenta sintomas, mas em alguns casos ela pode causar desconforto abdominal, fadiga, mal-estar e aumento do tamanho do fígado.

O principal tratamento para a esteatose é o controle do peso através da dieta e pela prática de atividade física (desde que com consentimento médico), além do controle dos níveis glicêmicos, de colesterol e triglicérides.

A falta de tratamento leva a uma destruição gradual das células do fígado, o que pode acarretar na perda da arquitetura funcional do fígado (cirrose hepática). A partir daí não há reversão do quadro, e em casos mais graves faz-se necessário o transplante do órgão.

É importante que se procure um nutricionista, para que ele possa elaborar um plano alimentar individualizado. Porém, alguns hábitos alimentares importantes para a diminuição da gordura no fígado são:

– Aumentar o consumo de fibras solúveis, presentes nas frutas, verduras, aveia e leguminosas (feijão, ervilha, lentilha, soja e grão de bico);
– Consumo de leite e derivados com o menor teor de gordura possível;
– Evitar a ingestão de alimentos enlatados, doces e alimentos açucarados;Retirar a gordura aparente da carne e a pele do frango.
– Preferencialmente excluir as bebidas alcoólicas e o cigarro.

  
*Artigo escrito pela colunista Dra. Ingrid Seiler Prior | Nutricionista especialista em Fisiologia do Exercício pela Universidade Gama Filho e em Obesidade e Emagrecimento pela Universidade Federal de São Paulo. Docente do curso técnico de Nutrição no Colégio Marquês de Olinda.


Já conhece meu Curso de Maquiagem Online? São 21 vídeo aulas + um super e-book!