O Movimento Slow

264
15/08

Vimos no último post que a essência do Movimento Slow é pregar que temos de fazer as coisas em uma velocidade justa, correta. Há momentos em que temos de ser rápidos, e em outros devemos desacelerar. O Movimento Slow é um esforço para recuperar a autonomia temporal, o controle sobre nossos próprios tempos, deixando a reatividade de lado e agindo de acordo com a nossa verdade e nossa própria natureza. E exatamente por não significar ficar devagar e lento, que ser rápido e ágil é igualmente importante de acordo com a situação em que nos encontramos, que gosto da expressão “flow”. É seguir o ritmo e o fluxo dos acontecimentos, de acordo com cada contexto, e por isso vou usar bastante essa palavrinha por aqui.

O Movimento Slow invadiu o mundo ocidental propondo uma conexão maior com a natureza, seus ciclos, seu tempo. É um contraponto às consequências de uma sociedade materialista, predominantemente urbana e workaholic, que tem a depressão e a ansiedade como os males do nosso século. Ele desafia a cultura da velocidade, do excesso e da quantidade que se sobrepõe à qualidade.

Precisamos resgatar a única forma sustentável de vida na Terra: a que respeita o tempo da natureza. Muitas vezes nos esquecemos que nós mesmos somos a natureza. Muitas vezes nos referimos à “ela” como algo externo a nós, longe, desconectado. E é aí que os problemas de saúde, as angústias, e a sensação de falta de propósito e sentido da vida aparecem. Precisamos viver o presente, tanto os momentos bons como os ruins. É preciso estar em paz com o tempo e não brigando constantemente contra ele.

Mas diante de tantos desafios do dia-a-dia e os hábitos e crenças que desenvolvemos ao longo da vida, é realmente difícil virar a chavinha e não cair nas mesmas armadilhas que criamos para nós mesmos. Como sair desse padrão e curtir uma vida mais plena e feliz? O caminho é a meditação, é a busca diária por pensamentos que elevem nossa vibração, que são capazes de gerar mudanças duradouras em nossa vida. Existem várias ferramentas que nos auxiliam nesse processo. Uma delas, que vem transformando vidas não só no Brasil, é justamente o Zen App, da Ju. Ali você encontra práticas  poderosas capazes de mudar seus pensamentos, suas atitudes, sua rotina e sua vida. Você já baixou o app? Que meditação que mais tocou você e que fez você mudar algumas chavinhas na sua vida?

Sobre o Slow Market e a Melissa

Motivada por fatores pessoais e questionamentos sobre qualidade de vida, a ex-publicitária Melissa Volk criou em 2016 o Slow Market, a princípio uma feira/mercado de marcas conscientes e sustentáveis de moda, beleza, decoração, pet, gastronomia e infantil. Desse primeiro projeto, Melissa vislumbrou uma oportunidade para criar eventos temáticos e setorizados, a fim de aprofundar questões sobre a sustentabilidade e conscientização por segmento, e foi ai que criou três projetos que são atualmente a base do Slow Market, que tem como filosofia o desenvolvimento de uma sociedade mais equilibrada, saudável, amorosa e unidaVirada Zen Market feita em parceria com a Virada Zen e foco em saúde e bem-estar, meditação, yoga; Slow Market.Kids, realizado em parceria com Oficina Cantada, com mercado, informação e atividades lúdicas e de conscientização para crianças e seus pais e por fim o Slow Market.Beauty, o primeiro evento totalmente focado na indústria de cosméticos naturais, orgânicos, veganos e artesanais do Brasil, que vai acontecer dias 25 e 26 de agosto, em São Paulo.

Site: www.slowmarketbr.com

Instagram @slowmarket_br

Facebook @slowmarketbr

YouTube Slow Market Br