Rede de apoio materno: por que ela é tão importante

22/10

Como você se sente quando precisa de um tempo pra você e não quer deixar seu baby sozinho? Saiba como uma rede de apoio materno é importante para o desenvolvimento do seu bebê.

Muitas mães se sentem culpadas só de pensar em sair e deixar o bebê com alguém, mas a verdade é que, independentemente do tamanho do nosso amor por eles, ainda somos seres humanos e precisamos de um tempo pra gente.

Tempo para relaxar e exercer a nossa individualidade. Afinal, precisamos estar bem pra que os nossos filhos também fiquem bem. Além disso, uma rede de apoio materno proporciona a troca de experiências e acolhimento – por isso ela é tão importante!

E algo que faz parte da minha rede de apoio materno é o Kinedu, com artigos sobre o desenvolvimento das crianças e brincadeiras incríveis que eu posso fazer para estimular o desenvolvimento da Liliu.

Clique AQUI para baixar o Kinedu grátis para iPhone ou Android!

Tenha um tempo pra você

Já dividi com vocês nas minhas redes e aqui no blog, alguns momentos em que eu precisei me ausentar e deixar a Anne Liv com alguém, por conta do meu trabalho.

Agora eu e o Crica estamos aos poucos, nos planejando e saindo sozinhos, chamamos essas aventuras de vale night (risos).

Preciso assumir pra vocês que eu me sentia muito insegura, comecei a ter muitos medos e esse foi um processo muito difícil!

Para nós mães, é comum no primeiro momento sentir culpa e ter medos. Mas devemos abraçar esse processo e permitir que as pessoas mais próximas nos ajudem a lidar com isso. Acolhimento é tudo!

Hoje eu lido muito bem e sei que preciso ter o meu momento – mães, um descanso é sempre merecido – e isso é importante pro desenvolvimento dos pitucos também! Por isso, vou compartilhar com vocês dicas e atividades que vão fazer toda diferença nesse momento.

Crie a sua rede de apoio materno

Quando você for começar a sair e deixar o bebê com alguém, a experiência vai ser melhor se o bebê já tiver se acostumado com outros cuidadores. Então, uma coisa que você pode fazer é envolver outras pessoas na rotina e nas brincadeiras desde cedo, essas pessoas serão a sua rede de apoio materno.

O legal é que, no Kinedu, você pode adicionar quantos cuidadores quiser, pra que eles também tenham acesso às brincadeiras adequadas à idade e ao estágio de desenvolvimento do seu filho.

Nas primeiras vezes em que eu saí sem a Anne Liv, fiquei pouco tempo fora de casa. Comecei ficando 1h e fui aumentando o tempo de acordo com a necessidade. Isso foi crucial pra ela entender e aceitar ficar com outras pessoas.

Ela criou confiança convivendo com outras pessoas e isso foi muito importante. Outro ponto é que sempre que preciso me ausentar, até hoje eu explico os motivos de sair e a razão de não levar ela comigo.

Não saia sem se despedir!

Acho que a principal preocupação da maioria das mães é que o bebê não vá ficar bem, que ele vá se sentir abandonado. Esse “medo do abandono” se chama “ansiedade de separação” e, embora faça parte do desenvolvimento dos bebês, é algo que pode e deve ser trabalhado.

Pra isso, é preciso que o bebê comece a entender o conceito de “permanência do objeto” – ou seja, que as coisas não deixaram de existir só porque saíram do campo de visão dele (ou que a mamãe não o abandonou só porque não está mais ali).

Eu sempre tenho um ritual de despedida com a Liliu. O Crica, a minha mãe e as pessoas mais próximas que estão sempre aqui em casa também! Hoje ela entende muito bem e as despedidas não são um problema.

Uma coisa que você pode fazer desde que o seu bebê é pequeno é se despedir dele com um beijo, dizendo que você vai voltar, e fazer isso na hora de dormir e sempre que for sair de perto dele. O fato de ele ver que você volta, vai ajudar a criar essa confiança.

Nota: As brincadeiras de esconde-esconde também são muito úteis para desenvolver o conceito de permanência do objeto. O Kinedu tem várias atividades de esconde-esconde de acordo com a idade e a fase em que o bebê está para você usar nesses momentos.

Amamentação

Se você amamenta o seu bebê, uma possibilidade é extrair o leite e armazenar, pra que ele possa mamar quando você tiver saído. No app do Kinedu tem uma atividade para aprender a descongelar o leite materno de forma segura, que você pode mostrar pra pessoa que vai cuidar do seu bebê.

No meu caso, a Anne Liv nunca aceitou leite se não fosse mamando no meu colo mesmo, mas você pode testar e ver o que funciona pra você. Eu tentei algumas vezes e decidi respeitar que ela realmente não queria e preferi não forçar.

Mesmo assim, se você precisa ficar ausente por mais tempo, é importante extrair o leite para evitar empedrar, porque pode se tornar de uma mastite. Evite não usar água quente quando seu peito estiver muito cheio e duro, porque a água quente estimula mais ainda a produção de leite.

A introdução alimentar será sua aliada

Depois que iniciamos a introdução alimentar eu fiquei mais tranquila, ela nunca deu trabalho e come de tudo. Hoje, ela mama como um extra, mas ela come bem melhor quando eu estou fora.

No fim, vai ficar tudo bem, e a Anne Liv tem me provado isso. Entender que o desenvolvimento socioafetivo do seu filho é um processo que exige tempo e paciência é importante, e mais importante ainda é ter essa rede de apoio materno para cuidar dela quando eu precisar cuidar de mim.

Lembre-se que sair sem o bebê é um ato de amor próprio, mas também de amor ao seu filho, pois você irá ajudá-lo a se tornar mais independente.

VEJA POSTS QUE VOCÊ PODE SE INTERESSAR

O que toda mãe deve saber para a amamentação dar certo

O leite empedrou?! | Diário da Amamentação

Tudo sobre ansiedade de separação

Compartilhe nos comentários os seus desafios e aprendizados nessa fase. Estamos juntas de verdade nessa aventura chamada maternidade.

Com amor,

Ju