Teoria do apego: o que é, e como se relaciona com o desenvolvimento do bebê.

17/09

Quando pensamos no desenvolvimento dos nossos bebês, é comum lembrarmos das áreas física, cognitiva ou linguística. No entanto, o desenvolvimento socioafetivo é tão importante quanto, já que dita como nossos filhos irão lidar com as próprias emoções e interagir com outras pessoas ao longo da vida – e nós queremos que eles sejam não apenas saudáveis, mas também felizes, certo?

Pensando nisso, fiz esse post em parceria com o Kinedu, um aplicativo recheado de artigos escritos por especialistas e atividades em vídeo que eu uso para estimular o desenvolvimento da Anne Liv – e que ensinam, inclusive, como construir um apego seguro.

O apego é o vínculo afetivo que o bebê forma com o cuidador principal – normalmente, a mãe ou o pai – nos primeiros anos de vida. Esse vínculo influencia o desenvolvimento socioafetivo da criança, e serve de base até mesmo para o desenvolvimento cognitivo.

Estudos mostraram que desenvolver um apego seguro nos bebês fará com que eles tenham uma autoestima mais alta, relacionamentos mais duradouros e uma facilidade maior de expressar as próprias emoções no futuro.

Veja algumas dicas para construir um apego seguro no seu bebê e ajudá-lo a ter uma vida mais feliz:

  • Mantenha contato físico com o seu bebê. Abraços, beijinhos e carinhos o ajudarão a se sentir amado e desenvolver um apego seguro.

Atividade: Abraços e beijos

  • Fique atenta às necessidades do seu filho, e atenda-o quando ele estiver chorando.
  • Converse bastante com o seu bebê e responda às reações dele – essa responsividade estimula uma relação de confiança.

Atividade: Conversas na hora do banho

  • Ajude o seu filho a pedir ajuda. Isso é muito importante para o desenvolvimento socioafetivo dele!

Atividade: Me ajude!

Segundo a Teoria do Apego, como os bebês nascem indefesos, eles têm uma inclinação natural a formar laços afetivos com um adulto protetor para garantir sua sobrevivência. Mas, para terem um desenvolvimento socioafetivo saudável, eles precisarão não só de comida e abrigo, mas também de amor, cuidado e atenção.

Os tipos de apego são determinantes para a formação da personalidade adulta:

  • Quando o bebê desenvolve um apego seguro, ele demonstra emoções positivas quando se reencontra com o cuidador, busca consolo quando sente medo e usa seu cuidador como uma base segura a partir da qual pode explorar o mundo. Esse tipo de apego é formado quando os cuidadores respondem às necessidades da criança de forma consistente.
  • Quando o bebê desenvolve um apego evitativo, ele ignora ou evita o cuidador no momento do reencontro, e não demonstra preferências entre o cuidador ou um estranho. Isso acontece quando os cuidadores respondem às necessidades e aflições da criança com rejeição.
  • Quando o bebê desenvolve um apego ambivalente, ele fica nervoso quando está sozinho, suspeita de estranhos e não fica aliviado quando se reencontra com o cuidador. Isso acontece quando os cuidadores reagem de forma inconsistente e imprevisível.
  • Quando o bebê desenvolve um apego desorganizado, há uma mistura entre comportamentos evitativos e ambivalentes, às vezes contraditórios (como se aproximar do cuidador, mas com o rosto virado). Esse tipo de apego está associado a maus-tratos.

Sabemos que ainda existe medo e distorções sobre a prática da criação com apego, e que muitas pessoas pensam que isso pode estragar ou mimar o bebê. Mas os estudos atuais mostram evidências de que essa prática, se feita de forma consciente, pode ser muito positiva. Não tenha medo de dar carinho, atenção, participação, beijos e amor. Essas são atitudes importantíssimas, e que podem fazer grandes diferenças no futuro do seu filho.

Lembre-se de baixar o Kinedu para ter ideias de atividades que irão ajudá-la nesta fase. Deixa nos comentários o que você faz para estimular o desenvolvimento socioafetivo do seu filho! Você já tinha ouvido falar em apego seguro? Me conta sobre a sua experiência – essa troca de ideias pode ajudar outras mamães!

Beijos com amor,

Ju e Kinedu Brasil