Esqueça sua melhor versão | Juliana Goes Podcast

20/05

Um dia me senti saturada da tal da melhor versão, da ansiedade que essa busca me trazia. Até que ponto essa busca da melhor versão realmente vale a pena? 

Vamos refletir sobre a transformação pessoal, o poder das referências que você tem e a importância da sua validação no contexto diário. 

Quer escutar esse conteúdo? Acesso o podcast Juliana Goes

Meu podcast

Espaço pra sentir o coração quentinho, investigar onde se perdeu o brilho no olhar, é se sentir bem na sua própria pele e criar uma relação mais saudável com você. 

A cada episódio vamos nos reencontrando com o que faz sentido, com nosso acolhimento, com o manifestar aquilo de maravilhoso que já nos habita e talvez tenha ficado esquecido. Comportamento, relacionamento, desenvolvimento pessoal e inteligência emocional são nossas pautas por aqui. 

Reencontro é dar uma nova chance pra pessoa mais importante da sua vida, você! 

Esqueça sua melhor versão

Vamos esquecer nossa própria melhor versão? Está tudo bem você dizer isso, mas vamos entender o que está por trás dessa busca. 

Comecei a trabalhar na internet em 2009 falando de beleza, cabelo e maquiagem (coisas que eu ainda gosto), e tudo ia muito bem. Porém com o tempo, eu senti que o que eu comunicava tocava as pessoas até uma certa camada. E como eu poderia tocar as pessoas de modo mais profundo?

Então, eu mergulhei em autoconhecimento (cursos, livros, viagem para India) numa ânsia de me entender. Eu estava remando no modo automático, e talvez você se sinta assim. E quando isso acontece e você busca se conhecer, você se depara, em algum momento, com a sua melhor versão. 

Às vezes você bate em uma tecla que satura. Por exemplo, quando eu tive essa mudança, eu estava muito “seja grato a tudo” e muitas vezes oferecendo uma positividade tóxica. E na vida, nós precisamos de equilíbrio e harmonia. 

Equilíbrio é quando estamos passando por uma corda bamba, não é fácil e exige muito da gente. Já a harmonia é mais fluida e leve. 

Nós não somos lineares e nem temos uma estabilidade constante. É, sim, possível ser uma pessoa mais positiva, mas também precisamos de uma dose de realidade. Reclamar é importante, mas temos que saber como e para quem fazer isso. 

Quando falamos da melhor versão, estamos falando da busca dela. E quando isso vai acontecer?

Você precisa abraçar quem você é e encontrar a sua própria vontade de melhoria, 1% por dia, por semana ou o que tiver acessível. 

Vá de encontro com o que você é de verdade, pois às vezes focamos numa melhor versão bem distante do que somos. Assim você pode estar se distanciando da sua autovalorização.

Eu já me cobrei muito, até mesmo por ter sido atleta e patinar por muitos anos, mas hoje busco olhar para mim e reconhecer o que faço. Se esforce para não criar aquele “eu sabotador” que diz que “está feito, mas não está bom”. O importante é estar feito.

Como se validar mais?

O processo de validação precisa ser diário, nem que você precise colocar na agenda ou no despertador. Como você pode se enaltecer agora? 

Busque entender como você era tratada antigamente, como você se trata e como gostaria de fazer daqui para a frente. Tenha carinho com você. 

Olhando todo o seu contexto, diga: eu gostaria que minha vida fosse mais… (leve, positiva, prospera, etc). Coloque uma intenção! 

No seu exercício diário de validação, como você pode trazer mais disso que falta para a sua vida? Ao se abrir para essas respostas, você vai ter sinais. Seja encontrar pessoas, ter novos sonhos, entre outras coisas. O mundo vai confirmar o que já está dentro de você!

Eu, por exemplo, coloquei que em 2022 queria mais alegria para minha vida. Fui anotando no caderno coisas que poderiam me trazer isso, que me traziam esse sentimento na infância e assim por diante. E assim encontrei a dança. 

Por mais que eu esteja há muitos anos na internet, eu não sou imune a haters e comentários. E a dança me faz me sentir mais espontânea, e é o oposto daquela sensação de necessidade de pertencimento e adequação.

Pode deixar as pessoas falarem “ela só inventa”, porque tem que fazer sentido para você! Faça por você. Viva a vida que você deseja. 

Em quem você tem buscado inspiração?

Busque melhorar um pouco todo dia e melhorar com relação aos seus próprios objetivos. Isso já vai fazer com que você se sinta uma melhor versão, e não aquela busca tão externa baseada em exemplos que você tenha.

Em quem você tem mirado como inspiração? Quais são os tipos de pessoas e empresas que você segue nas redes sociais? Quais influências elas causam em você? 

Repense as pessoas que você segue, como você está usando seu tempo. Faça uma curadoria das suas influências.

Dê menos ouvido para pessoas que não te colocam para cima, não te ajudam a se enxergar, não tem empatia. 

Só você vai saber as suas reais necessidades! Então vamos fazer um pacto? Eu sei que tem exercícios que parecem estranhos, eu falo disso no meu livro “A liberdade de ser quem você é”, mas a intenção é que você consiga pelo menos se olhar.

Se olhando, você se compreende. Se compreendendo, você passa a entender que já está fazendo muitas coisas. E assim, vai vendo o valor que já tem!

A sua própria validação que te faz mais forte!

É isso minha gente? Com o tempo vamos nos conhecendo mais! Te vejo no próximo Reencontro.

Beijos,
Ju